"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

sobre o presente...

Eu parei de tentar ficar voltando no passado, porque minha máquina do tempo quebrou, e ficar olhando pras lembranças só ia fazer eu ficar cada vez mais ressentida e frustrada por tudo o que deu errado.
Eu parei de tentar ficar adivinhando o futuro, porque o futuro não está nas minhas mãos, então, por enquanto, eu vou aproveitando o presente.
E mesmo que haja um espaço vazio que as vezes domina meus dias e meu sono, nesse momento presente, esse vazio não é um monstro.
... Não me impede mais de observar as coisas lindas que acontecem ao meu redor no presente .

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Só sei que nada sei

É a verdade mais sincera que já disse à mim mesma esse ano: não sei de mais nada.

Eu que finalmente consegui deixar de pensar com o coração e fazer as coisas da forma mais racional possível, cheguei à conclusão que sem que eu percebesse, acho que acabei entrando numa zona perigosa, deixando uma maldita porta aberta.

Digo maldita, porque bem sei que futuramente, esse pequeno deslize pode causar minha desgraça, mas enfim.
Estive meio ocupada com meus botões essa semana e mal tive tempo pra pensar em qualquer coisa que não fosse me desesperar por ter engordado, e ficar ansiosa por esse maldito ENEM também (sim, eu fiz novamente).
Confesso, às vezes me dá vontade de sentar com um baldinho de pipoca e ficar só observando os loops que a minha vida fica dando, só ficar como espectadora da minha própria vida, enfim, é um saco quando tá tudo coisado e a gente não faz a menor idéia de como fazer pra des-coisar.

O caso é que, pela maldita porta aberta ele entrou. E eu realmente não percebi que tinha deixado essa fresta. Ok, erro meu. Mas acho que agora, no final das contas, já não tem muito o que fazer, a não ser esperar dar merda, ou a vida me surpreender e me deixar viver um lindo romance de contos de fadas (Ok, confesso que principes e princesas não temos nada butttt vai saber).
Tenho um sexto sentido pra essas coisas, e por isso sempre fico pessimista, porque alguma coisa me diz que vai dar merda, mas eu não sei mais como fazer esse troço parar.

Eu parei de tentar ficar voltando no passado, porque minha máquina do tempo quebrou, e ficar olhando pras lembranças só ia fazer eu ficar cada vez mais ressentida e frustrada por tudo o que deu errado. Eu parei de tentar ficar adivinhando o futuro, porque o futuro não está nas minhas mãos, então, por enquanto, eu vou aproveitando o presente. E mesmo que haja um espaço vazio que as vezes domina meus dias e meu sono, nesse momento presente, esse vazio não é um monstro. Não me impede de observar as coisas lindas que acontecem no presente ao meu redor. 
Vou ser sincera. Tenho a leve impressão, de que estou pra me ferrar lindamente, mais uma vez.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Lapso bipolar

Engraçado, estava procurando pela minha receita dos óculos e acabei achando mil outras coisas que eu não estava procurando. Bem, no meio dessas mil coisas encontrei cartas. Muitas cartas *-* Cartas de amigas, ex-colegas de classe do curso (Lari sua linda, sdds), cartas de professores, cartas esquecidas no tempo... A maioria, não falam mais comigo hoje, outros foram embora, outros casaram (Ana amada <3) e fora embora, enfim...
Em todas as cartas, duas palavras se encontram : "te amo". EM TODAS.
*-* Achei tão fofo isso, que enquanto eu lia, comecei a chorar, bateu aquela nostalgia de novo e chorei largada. HAHAH

Estava pensando sobre o "valor das palavras". Certo dia o Kaue me disse que eu pareço ser o tipo de pessoa que se encanta e apega nas palavras, mesmo que as atitudes da pessoa não correspondam com o dito, eu tenho a tendencia a levar mais em consideração as palavras. Isso lá bem é verdade se eu for parar pra analisar.
Eu me sinto vazia, e sinto saudade de ouvir palavras que já ouvi em outrora. Não é algo que dê pra explicar, é só uma solidão e um vazio sem tamanho. São milhões de boas atitudes, pessoas que se importam, mas nenhuma palavra que me confirme que é o que eu acho.
Por isso que acho que ainda tenho medo. Por isso que não me perdi em sentimentos, nem me derramei em declarações. As vezes parece que estou, mas as vezes o vazio leva a melhor de mim, e eu só fico observando o nada. Eu não consigo mais oferecer qualquer coisa, porque não há mais nada aqui a se oferecer.
Nem mesmo palavras. Não consigo.
Não sei o que é. Na verdade, de certa forma estou bem, estamos. Acho que são pensamentos inoportunos. O desejo de ouvir algo, que fui alertada que não seria dito. Ninguém me entenderia, mas eu me entendo.
Eu sou feita de palavras, e por isso preciso delas. Mas até agora, as palavras (suas) me aconselham, me confortam, me cativam, mas não me dizem "eu te amo". Então, como é isso, estar com alguem sem amar?
estar somente por sentir confortável, bem, seguro.. Isso me deixa confusa.
E de certa forma... me deixa um tanto vazia. Porque eu sei melhor que ninguem, que eu realmente valorizo muito as palavras, tanto quanto valorizo atitudes.

Dai tive mais um lapso bipolar (estranho, porque até estou feliz, sei la), e no final das contas, não achei a receita dos meus óculos. ai ai.

sábado, 5 de outubro de 2013

Things are complicated

When your life is going just fine, and it's finally taking the course it should've already been taken since the begining of the times, you start to feel empty somewhere inside. How to handle with it?
I mean, now, everything's in the right place. Decisions've been made, stories have been told and listened, and so have feelings almost gone. Well, at least I could wish or think they were.

The fact is that, sometimes these things get me, making me feel that well known nostalgy of the old times.
Times that were as old as the things that remained present.
Small things like a draw, or an empty bottle of coke lost in my memory.
Things like a scent or a taste. bittersweet feelings, sensations, things I can't explain, and I wouldn't be able to, even if I could.

I don't know why I'm having this "moment", I think it's kind of a bipolar moment..
Because, to tell you the truth, everything's doing fine, and I've been waiting for this for a long long time...
I don't know what's happening.. At least not right now.
It's one the rarest moments where I feel empty, and lonely, although things are ok.
anyway, whatever.. I lost track of mind.

the only thing I know now, is that: things are complicated for sure.