"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

domingo, 1 de setembro de 2013

Aquelas reticências que nunca significam coisa alguma

...

É tipo isso, que to num momento tão sei lá, que mal me lembro o que são "reticências".
Estar com a mente ocupada o tempo todo é muito bom, tão bom que até disfarça esse pequeno vazio que eu ainda sinto em algum canto do meu peito, sei lá o porquê. Ok, talvez eu até saiba o porquê, mas ando ocupada demais pra me preocupar em preencher isso.

Acho que no final das contas, com tantas contas, e coisas que tenho a pensar quase que não sobra tempo pra pensar em coisas que eu normalmente pensaria se eu tivesse tempo pra pensar em alguma coisa..
Bem, cá estou eu novamente divagando com coisas que nesse momento não fazem sentido algum. É que parece que ta tudo coisado.

Sabe, uma sensação parecida com solidão, mas sem ser a dita cuja. Tá mais prum sobrecarrego, ou cansaço e descaso de ser.
Nesse momento, sou uma capsula vazia, talvez seja por conta do meu sono acumulado de 30 dias. Nesse momento se eu usar "..." não significa nada.

Estou presa na minha caixinha do nada. E sabe, não me incomodo não...

Nenhum comentário: