"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

domingo, 18 de novembro de 2012

O poder das lembranças

Memória, sem duvida é uma das coisas mais filhas da puta que o ser humano possui.
Acho uma senhora sacanagem isso. Não, quer dizer, acho que em partes possuir memórias é uma sacanagem. Mas acho que a sacanagem maior, é a gente não poder se libertar dessas memórias/ lembranças. E dai que entra a parte da filha-da-putagem. 

Porque cada memória está atrelada a uma sensação. Como nos sentimos em relação ao que aconteceu. E quanto mais forte é o que sentimos em relação a uma especifica memoria, mais essa lembrança tende a foder nossa cabeça, surgindo no nosso pensamento nos piores e mais inoportunos momentos possíveis.

Hoje mesmo, estava eu, super entusiasmada, a ler Êxtase (ou Rapture, que é o 5° livro da série Fallen), quando por uma infelicidade da vida, resolvi entrar no face. Ok que eu poderia ter tido aqueles 5 minutos de conversa com minha Soul Sister outro momento, mas hoje... Isso foi cruel. 
No livro, acaba meio que se baseando nas memórias da Luce, que está em busca de descobrir quem ela é. E descobrir quem ela é, a leva em direção a reviver suas vidas passadas atrás de informações. 
Bem diferente de Lucinda Price que tentava desesperadamente relembrar de tudo que viveu em suas existências, e que por um milagre divino não se lembra mais, cá estou eu tentando me libertar das minhas memórias... minhas lembranças.
Minhas lembranças me atormentam, e toda vez deixam um gosto amargo na minha boca.

Sabe, eu sou muito sortuda pelas amigas que tenho. Sei que sempre que eu precisar de alguem pra me esfregar todas as verdades que eu preciso na minha cara, eu sei que cá estarão elas a fazer eu cheirar a merda na qual estou pisando. Mas acho que tanta verdade jogada na minha cara, não sei se consigo lidar da forma que elas esperam.
Eu cresci acreditando nos contos de fadas, e pra mim não caiu a ficha que isso não existe. E toda vez eu fico sem chão, e toda vez eu aceito e cometo a mesma burrada fazendo sempre a mesma escolha estúpida. Parece que, quando se trata de escolher um caminho referente a um certo alguém, minhas memórias ruins simplesmente desaparecem, e me fazem lembrar só das coisas boas. O cheiro, o calor, o arrepio, a sensação de que nossos corpos foram perfeitamente desenhados um para o outro.. enfim, dezenas de boas lembranças voltam, apagando todas as coisas ruins, e me induzindo a escolher sempre pela estupidez, sempre me fodendo.

Enfim... A questão, é que hoje, minha SoulSis veio me jogar umas senhoras verdades na minha cara, e junto com as verdades, ela me trouxe todas as piores memorias que eu tenho. todas elas.
Por isso cheguei a essa conclusão...

A memória, não é uma dádiva. Não é uma benção. Não quando não se pode apagar.
A memória, as lembranças são uma maldição. Principalmente quando se ama. Essa é a verdade.

E perdi o raciocinio. Boa noite.

Um comentário:

Du disse...

De novo nessa Jenn??