"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Enquanto eu respirar..

Bom, a gente nunca sabe quando alguma coisa vai ser pra sempre e quando vai de fato acabar..
A verdade é que independente de ter acabado qualquer coisa ou não, o nosso aprendizado, e nossas lembranças jamais podem ser deixadas de lado. Afinal, são essas as experiências que nos formaram quem somos. Se amadurecemos ou não... Entende?
Então, se houveram momentos especiais, não temos que querer apagar da nossa memória, fingindo que nenhuma história foi escrita.
Se houve ponto final, é um pena.. Feche o livro, guarde em uma estante, e leia SEMPRE que sentir vontade.. Ame o livro, ame a história vivida, é parte de quem você é... Respire fundo, e comece a escrever outra história.

Eu ainda não sei se quero escrever histórias por enquanto..
Ainda quero esperar a tinta fresca secar nesse livro em aberto.. Preciso saber que rumo tornaram meus personagens.. se ficam juntos, e esse era só um "ponto, e na outra linha parágrafo", ou se de fato era o ponto final que tanto fujo de usar.

É difícil por ponto final nas coisas...
Coisas que te fizeram bem, te fizeram rir..
É engraçado que quando vai chegando perto de um final, as coisas que te fizeram um dia se sentir mal, parecem nada perto de o que pode acontecer se houver um ponto final de fato.

Porque, é nessa hora que percebemos, que pode não haver mais uma briga pelo fato de um jogo de pingue-pongue ser mais importante que um abraço seu...
Não haver mais brigas por ciúmes besta de novas amiguinhas ou ex-namoradas, porque vocês não estarão mais juntos, e vai ter de entender que em momento algum o outro foi seu, e ele estava com você porque realmente queria...
Que falar do tamanho da sua testa, ou da sua lerdeza para entender piadas, nada mais era do que uma forma de ele expressar que prestava atenção em cada pedacinho de você, fosse fisicamente ou na sua personalidade...E que fazia pra irritar, porque sabia que depois só ele poderia acalmar sua birra de criança boba...

Na hora de colocar o ponto final de fato, você se pergunta, e repergunta dezenas de vezes se tudo o que fez foi certo, ou se foi em vão... Se estar junto, aguentar a caçoada, pessoas que se afastaram, ignorar pessoas que diziam que não ia dar certo... Quando chega esse momento, a pior parte, é quando os outros te dizem "te avisei", e você no fundo da sua alma sabia que não era pra história acabar, e mesmo que não precisasse provar nada, você realmente queria provar que eles estavamtodos errados., e que só pra variar, essa história seria diferente...

Na hora de encarar o ponto final, as pequenas coisas começam a passar aquela dorzinha lá no fundo do nosso coração.
Dai, a gente começa a lembrar, que não vai ter mais aquela pessoa que vai ficar falando com você por horas no telefone quando não tiver mais nada pra fazer..
E que aquela voz tão familiar não vai mais te falar aquele lindo "eu te amo".
As mãos não tocarão mais as suas, nem aquele abraço que parecia ser feito sob medida, vai ser sentido outra vez.
O beijo quente ficará esquecido sob os lábios que posteriormente beijarão outros que não sejam os seus. E todo o carinho e as caricias que seriam um dia destinadas a você, pertencerão à outra pessoa.
E quando percebe-se tudo o que não acontecerá mais, passamos para o próximo passo masoquista: revirar as cartas, e a trilha sonora sob qual foi escrita seu tão lindo livro de romance. As músicas para as desavenças, os barracos na faculdade, os abraços e amassos calorosos sob o telhado daquela velha casa perto da escola... Da cumplicidade que havia na volta pra casa e do cafuné lá no fundo do ônibus quando você estava dormindo, mas ainda assim sentia.
Olhar para os pequenos ursos de pelúcia na sua cama, e não lembrar da felicidade ao recebê-los no seu aniversário ou no dia dos namorados e de como foram cumplices da sua solidão e receberam abraços seus quando você queria abraçar ele.
E então, olhar as fotos. As provas mais vivas de que de fato coisas boas aconteceram. Que os sorrisos registrados não eram falsos, e que havia uma história linda por trás deles.
É difícil lembrar dessas coisas e não chorar.
(Talvez eu tenha amadurecido, ou talvez só esteja reprimindo isso dentro de mim, porque desde que comecei esse post não chorei, não sei como vai ser quando começar a passar "gravity'' -porque tou ouvindo "lie"/David Cook, mas vamos lá)...

Reconheço que apesar de todos os contras, os prós me fizeram feliz.
Me fizeram acreditar que existia um Deus que se importava comigo, e me entregou um anjo pra que me fizesse feliz, e me fizesse sentir amada, querida, desejada.. por mais que eu reclamasse eu sempre era compreendida.. E hoje agradeço a Deus por isso.
Eu já chorei uma vez, e odiei, senti nojo de mim... Agora não mais.
Eu me sinto sortuda. Por ter feito parte da vida de alguém tão iluminado e especial.
Me sinto realizada, por ter tido alguém que um dia brigou por mim, lutou por mim, e não desistiu, mesmo depois da rejeição não me esqueceu. Me amou...
Sou grata, pelo que vivi, e por poder ter do que recordar. E por mais que eu chore, nunca vou me cansar de lembrar, que em um periodo no tempo, eu fui mesmo feliz. E que compartilhei e conheci um sentimento que hoje poucos conheceram.
Essa dorzinha é natural. É sinal de que houve muita coisa boa. E a saudade vai ficar... Já entendi.
E por isso que digo que "só enquanto eu respirar, vou me lembrar de você"
Espero que não seja necessário usar o ponto final...
mas se tiver que usá-lo, saiba que arrumarei uma bela capa pra esse livro, e que não o deixarei empoeirar em uma estante. Vou ler e lembrar sempre.

---

2 comentários:

  1. ♪ Só enquanto eu respirar, vou me lembrar de você.. Só enquanto eu respirar ♪ - Quer dizer que a bonitinha tb ouve O Teatro Mágico é?

    ResponderExcluir
  2. Sim sim Duu *-* gosto muuuito deles. essa era minha musica favorita, até eu dedicar ela pro meu ex, e ele mandar pra (ex) namorada ;/ HUAHUAHAUH

    ResponderExcluir