"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Beautiful

hoje eu acordei me sentindo linda.
Acordei me sentindo importante... Para mim. Já que sou o personagem principal da minha vida.
Me dei conta, de que quero que os outros olhem para mim como eu sou, mas antes, eu preciso saber uem sou.
e cheguei a conclusão de que, alem de linda (ego lá em cima), sou inteligente, capaz de pensar em duas línguas ao mesmo tempo, sou boa filha, sou responsável, um bom exemplo, tudo o que faço é com muito amor e carinho, e quero sempre poder fazer o bem, e ver os outros bem tb.
Eu sou especial.

Eu sou importante.

Eu me amo sz

---
E não posso esquecer, que ninguém vai ver essas qualidades em mim (e outras que não me lembro agora), se eu não conseguir reconhecer que sou tudo isso ...
O mais importante já fiz.. agora o resto, é só o resto. :)
---

Sim, eu sei que estou atrasada para o próx. capítulo mas ainda não sei que diabos faço
com esses dois HAHAHHA... na verdade até sei, mas me falta tempo para escrever, (ô dó)...
vou lá...

obgd por tudo.
logo menos postarei sobre a minha viagem à Resende. que foi Supimpa, e mágica.
Boa noite galere.

Deus, eu te amo ♥

terça-feira, 12 de julho de 2011

black hole

é, parece que tem um buraco negro aqui no meu peito.
eu sinto tanta falta, de um monte de coisas que eu nem sei o que são.
Sinto falta de lugares, de pessoas... de sentir, de viver coisas que nunca vivi.

Sinto falta de ser eu. Com os outros, e comigo...
sinto falta das coisas que me faziam bem e hoje já não fazem mais.

Eu só queria que as coisas voltassem a ser iguais já foram um dia.
Iguais aos dias em que eu recebia e-mails e declarações, da pessoa que supostamente deveria me amar e me tratar melhor do que todos os outros em volta.

Sinto falta de ser querida.
de alguém sentir a minha falta. sentir saudades de mim, e de querer me abraçar forte, e não me deixar partir.
Sinto falta da intensidade. Hoje parece que toda aquela água que borbulhava, está totalmente fria.
sinto falta do quente. do calor, de não chorar, ou sentir dor.
sinto falta de estar feliz, e compartilhar a minha felicidade com alguém que fique feliz junto comigo.

Sinto falta de tudo o que houve um dia, e que não há mais quase nada hoje.
talvez, não hajam nem lembranças.

Eu só queria voltar a ser criança. Quando nada fazia falta...
nem os meus pais que eu só via aos finais de semana...
os joelhos ralados cicatrizavam muito mais rápido...

só isso.

Amar


Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
Sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

(Carlos Drummond de Andrade