"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

sábado, 5 de março de 2011

You say I am a fool


Você vive dizendo que eu sou boba, e não desminto. Acho que seja até verdade mesmo.
Você diz que sou infantil, e criançona, mas e qual seria a graça de ser séria, e madura demais? Seria apenas mais uma pessoa chata na sua vida, e que não faria falta nenhuma se quisesse sumir....

A maior parte das coisas que voce descreve da minha personalidade, é verdadeira, e não tenho porque omitir.

Sou esquecida, principalmente com coisas que não me interessam. Tem coisas que esqueço sem querer, e tem coisas que esqueço de propósito, por puro capricho meu.
Sou bagunceira, não ligo de não arrumar as minhas coisas. mas sempre digo que minha bagunça é organizada, porque sempre sei onde estão minhas coisas.
Sou dissimulada, porque muitas vezes finjo que não sei de algo, ou finjo alguma coisa que não sinto para não magoar as pessoas que gosto...
Sou cínica, principalmente com as pessoas que não gosto.
Sou transparente, não de ser magra, mas de deixar que qualquer um perceba o que eu sou de verdade se eu quiser.
Sou chorona, e choro mesmo, em qualquer lugar, mesmo que chorar não resolva nada, me ajuda a extravasar tudo o que há em excesso em mim. Seja por alegria de mais, tristeza de mais, desgosto de mais, decepção de mais, saudade de mais... tenho problema com sentimentos.... eles sempre acabam transbordando.
Sou pessimista e fico sempre achando que tudo vai dar errado.
Sou azarada, porque se apronto alguma coisa, as pessoas sempre acabam sabendo, as vzes até porque eu mesma acabo contando..
Tenho problemas com gostar de coisas, as vezes gosto de uma coisa e depois não gosto mais, e às vezes gosto de coisas pra sempre. E a minha verdade tem que ser sempre absoluta, ninguém pode me contrariar. Se não gosta daquilo que eu gosto, não fale mal na minha frente, porque provavelmente xingarei você até a sua 4º geração.
Transbordo de sentimentos, e geralmente não falo, porque não tenho por que aporrinhar os outros com minhas melozices...
Escrevo sobre tudo o que me interessa, mesmo que seja só sobre eu mesma.escrevi se gosto, escrevo se não gosto, falo mal, falo bem, agradeço, desabafo... Escrever é a saída para jogar meus vômitos de palavras nos outros.
Quando leio entro em um universo paralelo, e não escuto mais nada. NADA mesmo, pergunte ao Bruno se quiser. E ODEIO quando me interrompem a leitura. dá vontade de matar um, que sempre acaba por interromper nas melhores partes do livro.
Finjo que sou algum personagem importante de filmes, e gosto de dizer que sou fulana de tal, só porque acho a história bonita ou comovente.
Tenho diversos conflitos internos acerca da religião que sigo, às vezes sinto a necessidade IMENSA de ir pra igreja. às vezes não gosto e não quero nem ouvir falar sobre.
Me irrito com extrema facilidade, e as vezes falo inverdades só para magoar as pessoas que me magoaram... Mas logo que falo me arrependo e peço desculpas.
É verdade, a culpa atinge a mim de forma muito maior do que atinge à outras pessoas. e me torturo por isso sempre.
Estou sempre sorrindo porque na maioria das vezes não sei como me comportar, e fica meio difícil saber o que sinto porque omito com sorrisos, mesmo que eu não goste muito disso.. tenho dificuldades de falar as coisas na cara. e geralmente não falo, porque sei que vai magoar.
prefiro que fique tudo só no meu pensamento.

Digo que amo todo mundo, mas quando eu digo, se eu digo, é porque eu amo mesmo, e tenho uma facilidade IMENSA de me apropriar desse sentimento, principalmente por pessoas estranhas.tenho mesmo uma facilidade imensa para amar e perdoar pessoas, mesmo que pelos piores erros e falhas comigo.
Tenho dedo podre. A maioria das pessoas que passaram pela minha vida me deixaram com cicatrizes profundas, que demoraram tempo demais para cicatrizar.
Tenho sorte, porque todas as pessoas que permaneceram na minha vida, salvaram-me de abismos, e me trouxeram pra fora do poço, me fazem feliz, e preenchem cada pedacinho em mim.
Sou extremamente faladeira, e sempre tenho assunto pra quase tudo. As vezes é necessário me mandar calar a boca.
Sou cantora de chuveiro, e canto no meio da rua, e não me incomodo nem um pouco se isso vai incomodar quem está do meu lado, mesmo que essa pessoa seja meu namorado. Não quer me ouvir? ponha seus fones e ouça slipknot. HAHAHAH.
E incomodo DEZENAS de pessoas, desde sempre, só por ser assim.

e ainda existem as coisas que eu não sou, mas que não sei porque caralhos as pessoas insistem em dizer que eu sou.
Elas não sabem, mas eu sei exatamente quem eu sou, o que eu quero ser, e por que sou assim.
Cada um carrega uma história, e cabe a cada um de nós criar nossa imagem, independente de pertencer a um grupo ou não.
quem vai viver sua vida, é você. SÓ.
Seu grupo só vai estar contigo na hora da curtição.
Descola uma dívida cabeluda pra você se eles irão pagar suas contas...

AVÁ.

ninguém foi feito pra viver sozinho.
mas concorda que se fosse pra um monte de gente dar palpite na vida dos outros, seríamos todos siameses? e aí todo mundo estaria interligado?
xoxo Jenn

--
One - Glee version

Nenhum comentário:

Postar um comentário