"NADA NOS DEIXA TÃO SOLITÁRIOS QUANTO OS NOSSOS SEGREDOS" - Paul Tournier

domingo, 30 de janeiro de 2011

Searching for a star

Eu gosto de observar as estrelas, quando estou deitada na grama. É mágico.
Trás aquela sensação de como somos pequenos e inúteis diante do tamanho da criação Divina
Era das vezes especiais iguais a essa, que eu gostava mais.

Havia apenas a luz sedutora e inocente da Lua, luzindo sobre a piscina e passando por entre as folhas das árvores, criando um espetáculo dark incrível de se ver. E as estrelas poderiam estar cantando, pois sua harmonia era ... perfeita.
Havia uma lanterna no chão, luzindo nossa cesta de piquenique noturno... e, havia Ele.

Eu estava deitada sobre seu colo. Não sabia se olhava para a noite magnífica, desenhada especialmente para nós.... Se olhava para seu rosto, iluminado pela pouca luz da lua, ou se simplesmente fechava meus olhos...
Fechei os olhos. E podia ver todas as cenas que quisesse repetidas vezes. Lembrava dos seus traços, olhos expressivos, intensos; sobrancelhas grossas, lábios rosados e com carne suficiente para me tentar a mordê-los. Branco, mas não pálido, saudável. Cabelos pretos, rebeldes e espetados.
Eu ri lembrando de brigas idiotas quando eu tentava "arrumá-los" e ele ficava irritado, bagunçando ainda mais o cabelo. Bobão...
Lembrava do seu contorno, braços grandes e definidos, alguma barriguinha saliente, nada de exagerado. Tudo no ponto. Perfeito.
Lembrava do sorriso que ele tão teimosamente vivia tentando esconder. mas que era lindo, a causa das minhas maiores alegrias. Meu tesouro.
Podia sentir com os olhos fechados ainda, seu perfume me inebriando, e embaralhando meus pensamentos, misturando-se com o cheiro do seu shampoo, e ainda o cloro da piscina, e da noite e do orvalho que caía sobre as plantas, refrescando-as.
Ele me fez cafuné, atrapalhou meus pensamentos, me distraiu. Então, abri os olhos.
E sorri.

Ele estava com o olhar perdido em algum canto da grama torturando e perseguindo algum inseto.
Tão grande, e tão bobo...
Eu ri, e desviei a atenção dele, que respondeu com um peteleco no meu nariz.
- AI! - eu tapei o nariz fazendo massagem na dorzinha chata que tinha ficado.
- Boba ... - ele disse, fazendo careta, e eu respondi com outra, e mostrei-lhe a língua. Ele gargalhou.
Senti milhões de pinicadas por todo o corpo. eu tremi. mas era um tremer legal. eu gosto do arrepio que a risada dele me provoca. ele sabe...
Incrível como fico toda boba perto dele.
Corei. Coisa que dificilmente acontece, até porque, segundo as palavras dele :"eu sou preta."
Fechei os olhos e respirei fundo. Eu ri baixinho... e quando abri os olhos, ele estava encarando.
- O que? - eu perguntei.
-Nadaa...- Revirou os olhos e balançou os ombros, como quem diz "whatever". Ele sabia que aquilo me irritava profundamente. E fazia de propósito
- Então PÁRA de me olhar com essa cara de retardado...!- eu disse rindo e sem graça.
Gargalhei, e ele tapou os ouvidos. murmurou algo tipo "escandalosa", mas não pude provar que era isso mesmo.
Ficamos em silencio depois que eu finalmente calei a boca. E ele deixou o inseto em paz, ficou olhando para mim.
...
Silencio.
...
-Então mor... Eu te amo ♥- ele disse quebrando o silencio.
eu fechei os olhos e sorri.
-é.. eu sei. haha - Abracei-o pelo torso depois voltei onde estava, olhando para as estrelas.
Eu podia ficar ouvindo sua respiração oscilante, seu coração
batendo forte.. Poderia ficar assim pra Sempre. desde que Ele estivesse comigo.
Fechei os olhos.
- Eu também amo voce. . . - eu disse num sussurro...


sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Eu corri



Talvez eu estivesse correndo rápido demais, e não consegui perceber muita coisa na minha frente.
Eu sabia que a estrada estava perigosa, e que ainda chovia. As vezes a chuva é minha melhor companheira, eu gosto de como ela me refresca depois de um dia quente. Me lembrando que depois do calor infernal, vem aquela chuvinha, aquelas gotinhas milagrosas, que me fazem sentir viva. eu gosto daquilo.
Eu sempre fui boa condutora. Eu gostava de conduzir as coisas, de achar que eu mantinha sempre o controle de tudo nas mãos. Minha vida inteira fui assim.. E nem sequer
percebi, que todas as coisas saíram do rumo... me perdi, e perdi o controle de tudo.
E aqui estou eu, na chuva correndo com a moto, torcendo pra que alguma luz apareça no meu caminho, e me tire do abismo que eu caí..
É um lugar ruim. Vazio, escuro, sem vida. E é a minha vida.

Em poucos segundos, uma luz entrou na mesma mão que eu dirigia. e então, senti uma força muito forte me tirando da moto. Aconteceu tudo muito rápido. A moto que se destroçou no encontro com o outro carro, que tombou... eu jogada no acostamento, com alguns ferimentos leves e superficiais, outros nem tanto. Havia
lugares em que a dor era insuportável, mas eu mal conseguia perceber o que havia acontecido.
Achei que estava bem, até porque, estava com o capacete... mas perdi qualquer força que eu tinha, quando tentei me levantar.. Subiu aquela sensação de falta de oxigenio no cérebro, e minha visão se apagou. Eu caí.

Eu fui me afastando daquela cena do acidente... Das pessoas de dentro do carro que foram jogadas pra fora... o carro e a moto destruídos.. o desespero. Tudo foi-se apagando da minha mente... e eu só procurava chegar ao clarão em frente aos meus olhos...
Era um lugar aconchegante. Como uma brisa.
E, imaginei se eu pudesse estar sonhando...

Eu estava numa campina, deitada sob uma arvore, e fazia sol, mas não estava calor. Havia uma cachoeira por perto, o barulho da água era bom. acalmava. eu olhei ao redor, e havia mato, campo, animais, até aonde alcançava a vista.. Parecia com os lugares que meus pais me levavam no interior quando eu era criança. Havia uma casinha ao longe. Subia fumaça da chaminé. eu me senti tentada a ir lá.
Criei coragem, levantei-me da sombra fresca da árvore e segui em direção a casinha... E havia alguém na porta... Eu tentava me aproximar, mas quanto mais perto eu chegava, mais longe a casinha ficava... E, como uma brisa, tudo se foi, e mais uma vez me senti cair naquele abismo. Vazio.

E voltei aquela cena.
Agora haviam para-médicos, e policiais. ouvi algo sobre a criança no banco de trás ter falecido... Eu quis chorar... Mas não foi minha culpa....
E até agora, não entendi como foi que saí tão rápido daquela moto. Eu, que procurava tão ansiosamente pela morte. queria que ela me achasse... passei a um triz dela, mas até ela me rejeitou.

fechei os olhos cansados e adormeci sem perceber.
se eu pudesse, teria trocado de lugar com a criança. . .

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

calor


aqueça-me no calor dos seus braços.
não me deixe partir de ti.
fique comigo, mais um instante.
tire o vazio, preencha-me com a sua presença.
alegre o meu dia.
faça-me feliz. todos os dias.
ponha-me pra dormir, todas as noites.


sábado, 8 de janeiro de 2011

Você poderia


Noah: (...) apenas ficar comigo?
Allie: Ficar com você? Pra quê? Olhe pra nós, já estamos brigando!
Noah: Mas isso é o que nós fazemos! Nós brigamos! Você diz que eu estou sendo um arrogante
filho da puta, e eu te digo que você está sendo um pé no
saco... O que você é 99% do tempo. Eu não tenho medo de ferir seus
sentimentos, porque depois de dois segundos, você voltará a ser um pé no saco.
Allie: Então o que?
Noah: Então não será fácil, será muito difícil. E nós teremos que trabalhar nisso todos os
dias, mas eu quero isso, por que eu quero você. Eu quero tudo de você, prα sempre, eu e você, todos os diαs. Você fαriα umα coisα por mim? Por favor? Só imagine α suα vidα prα mim? Dαqui α 30, 40 αnos, como elα se pαrece? Se for com αquele cαrα, então vá. Vá! Eu te perdi umα vez, eu αcho que eu posso perder de novo se eu pensαr que é isso que você reαlmente quer. Mαs não use o jeito mαis fácil de sαir dessa.
Allie: Que jeito mαis fácil? Não existe jeito mαis fácil! Não importα o que eu fαçα, αlguém se mαchucα.
Noαh: Você pode pαrαr de pensαr no que os outros querem? Pαre de pensαr no que eu quero, no que ele quer, no que os seus pαis querem. O que você quer?
Allie: Não é simples αssim.
Noαh: Cαrαmbα, o que você quer?
Allie: Eu tenho que ir.


The Notebook

sábado, 1 de janeiro de 2011

desenhei ;]

Essa aqui eu tb fiz hoje, ficou tão fofinha..
cara de baladeira.
HSAUHSUIAHSUHASIASHIUHAS

visit Ortist

desenhei ;]

É, esse foi eu que fiz, ficou legalzinho até.. rs
as vezes tenho tipo um surto, e os desenho saem meio legais xD
já posto o outro.


visit Ortist